Historia

A génese do Agrupamento 1324 da Sé deu-se em 2007, quando um grupo de casais visitou o padre Mário de Sousa em Roma, e este lhes lançou o desafio da concretização do desejo de formação de um agrupamento escutista. O facto de este desejo ter sido apresentado junto ao túmulo de João Paulo II, foi determinante na escolha do falecido Papa para patrono do agrupamento. A importância do local da origem conceptual do Agrupamento é claramente assimilada por todos os dirigentes. Foi referido na altura pelos responsáveis pelo Agrupamento que “(...) o CNE nasceu junto ao túmulo dos Apóstolos Pedro e Paulo, pelo que o facto de o Agrupamento 1324 ser fundado em pleno Ano Paulino é uma graça”.

Desde outubro de 2007 a outubro de 2008, a estrutura que viria a ser o Agrupamento 1324 foi-se desenvolvendo, promovendo atividades apadrinhadas pelo Agrupamento 98 de São Pedro.

Durante o ano que antecedeu a sua o Agrupamento foi crescendo e à data da sua filiação no CNE, que está registada na Ordem de Serviço Nacional (OSN) 565, de 30 de outubro de 2008, contava já com 10 chefes (6 dirigentes e 4 candidatos) e um total de 72 membros.

A fundação formal do Agrupamento 1324, de acordo com a Ordem de Serviço Regional 6/2008 de 31 de outubro,  ocorreu a 18 de outubro de 2008, durante a Eucaristia, em celebração presidida pelo pároco, o padre Mário de Sousa, na presença da Junta Regional e do agrupamento 98 de Faro, que apadrinhou o nascimento do agrupamento.A Eucaristia, foi participada por uma igreja repleta não só de paroquianos como de escuteiros vindos de outros agrupamentos do Algarve e de Lisboa. Concelebraram a cerimónia o assistente regional, padre Domingos Fernandes, e o assistente do agrupamento de São Pedro de Faro, padre Manuel Rodrigues, assim como o assistente regional adjunto, o diácono António de Freitas.

Durante a homilia, o pároco recordou que um agrupamento do CNE é, em primeiro lugar, uma comunidade de discípulos de Jesus, que concretiza os valores do Evangelho na relação com Deus, com os outros e com a natureza, seguindo a metodologia de Baden Powel. Por isso, e à luz da palavra de Deus escutada, desafiou os escuteiros presentes a concretizarem o convite de Jesus no evangelho do dia, ou seja, a levar ao mundo de César, os valores do Reino de Deus. “Vivemos no mundo de César, mas somos cidadãos do Céu; somos chamados a viver de tal forma a nossa fé que, pela nossa própria vida, somos missionados a trazer ao mundo de César o mundo e os critérios de Deus”, afirmou.

Depois da homilia seguiu-se a bênção da bandeira e a promessa do primeiro chefe de agrupamento, Jorge Cruz, assim como a promessa de dois novos dirigentes. Após a Eucaristia, seguiu-se um jantar partilhado na Escola EB 2.3 Dr. Joaquim Magalhães, que se tornou pequena para tantos participantes.

Na altura da fundação a Ordem de Serviço Regional 6/2008 referia que "Dele fazem parte: Alcateia São Francisco de Assis; o Grupo Explorador São Jorge; e o Grupo Pioneiro S. João de Brito."